História da Helena

Estou aqui para vos contar um pouco do meu testemunho em relação à prematuridade da minha bebé. Tive uma gravidez um tanto quanto conturbada, desde a não aceitação do pai até ao meu problema de tensão alta. Na minha primeira consulta pré-natal já estava com a minha pressão altíssima, chegando a 20/9. Comecei com medicação para controla-la mas, a partir das 22 semanas, ela começou a disparar e não havia meios de controla-la. Até que, um dia, fui a uma consulta de alto risco e a médica disse que estava com proteína na urina. Fui até  Caldas da Rainha, mas lá constataram que não era pré-eclâmpsia. 

 

Voltei para casa, algo não me convencia que não tinha nada, pois estava extremamente inchada. Mas enfim… Voltei para casa e depois de 15 dias perdi a visão esquerda. Me preocupei e fui ao médico que, mais uma vez, me mandou para casa. Na madrugada de domingo dia 15/07/2018 senti uma dor muito forte na boca do estômago e fiquei horas a rodar pela casa achando que era a bebé encaixando nas costelas. Enfim, passou a dor e fui dormir. Quando foi pela manhã acordei e me sentei na cama e quando me levantei havia uma poça de sangue. Corremos para o hospital de Caldas. Chegando lá fizeram o “ctg” e análises. 

 

Resolveram me internar pois as minhas taxas já estavam todas alteradas. Só que só estava de 27 semanas e a bebé estava muito abaixo do peso esperado. Já estava com restrição de crescimento. Então o hospital resolveu me transferir para o hospital São Francisco Xavier em Lisboa para ser acompanhada. Fiquei dois dias em completo jejum, a pressão estava alta ainda. Quando foi no dia 16/07/2018 o médico entrou na sala na qual estava e me disse que o parto não poderia esperar mais pois a bebé já não se notava muito bem os batimentos. Já estava em sofrimento e eu já estava com pré-eclampsia com agravamento para síndrome de HELLP. Meu fígado e rins já estavam comprometidos e eu poderia convulsionar e morrer. Eu e a minha bebé. Bem, entrei em desespero. Mas fui confiante pois sabia que Deus estava comigo. Entrei na sala de partos, vários médicos e enfermeiros à minha espera. Depois de 20min nasceu minha Helena com 597gramas e 34cm. Foi direta para neonatologia. 

Deu entrada com quadro grave com hemorragia intracraniana e displasia broncopulmonar. Mas segui lutando. Foi entubada. A hemorragia e a displasia foram controladas. Mas duas semanas depois apanhou sepse. Mais uma preocupação. Mas com o antibiótico a infeção foi combatida. 

Helena ficou 97 dias na neonatologia. Três meses de angústia, mas cada dia era uma vitória alcançada. Era um dia de cada vez. Saiu do hospital no dia 22/10 e até hoje já com 2 anos continua a ser acompanhada lá. Helena não teve nenhuma sequela, segue uma criança super saudável. Quero dizer para as mamães de prematuros: a força que eles têm para sobreviver é surreal, algo divino. E cada dia eles nos ensinam mais. A ser pacientes, fortes, perseverantes e que devemos acreditar na vida, como eles que lutam diariamente para sobreviver.

Partilha este artigo:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on email

4 respostas

  1. Minha guerreira e vitoriosa. A última palavra é sempre de Deus e Helena é a prova viva de que milagres existem sim, só basta ter fé e entregar nas mãos Desse Deus Maravilhoso. Titia ama muito ❤️❤️

  2. Helena Vitória. É o verdadeiro milagre de DEUS. É tão gratificante pode conhecer esse bebê milagre, um anjo lindo enviado pelo Senhor. Nos trouxe muitas alegria e nos provou que a Fé supera qualquer dificuldades. Quando Deus decide a vida, ElE faz o milagre por completo. Mamãe foi muito corajosa em não desistir, lutou pela vida da filha desde o inicio e Helena foi guerreira que superou toda expectativa da medicina. 2 anos que o milagre existe e faz nossas vida ainda mais feliz. TEAMAMOS muito Lelê ♥️👸🏼

  3. Pincesinha Helena a menina mais guerreira que eu conheço….. Como é bom poder ter acompanhado tudo desde o principio…… Um pedacinho de gente k se tornou em uma menina risonha simpática e muito faladora… Amo demais minha princesa nena
    Mas também não me posso esquecer k ela tem uma mãe muito guerreira tambem parabéns Carol pela mãe Maravilhosa k es

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.